Bundt de Chocolate



Para a minha avó. Uma das pessoas que mais amo no mundo. São 90 primaveras que já viveu, e muitas delas ao meu lado. Um coração cheio de amor de avó, daquele amor que sabe tão bem, que é como um aconchego e um abraço, que é doce e cheio, puro e meigo. Parabéns avó!

As minhas memórias mais doces encontram sempre a minha avó (os meus avós maternos). Desde pequenina, nos tempos em que ainda não andava na escola, e passava os dias na quinta com ela. Lembro-me de uma horta grande, do cheiro a cavalos, das uvas que se tornavam passas numa mesa de madeira ao sol, das rodelas de beringela que ela cortava, dum fogão pequenino na cozinha e uma televisão a preto e branco. Lembro-me dos seus óculos verdes, que lhe enchiam a cara, e do colar de pérolas para os dias de festa. São memórias que me dizem ser estranho lembrar, porque era mesmo muito pequenina.

Os tesouros que merecem para sempre ser guardados, são as memórias e os afectos dos tempos juntas, do crescer, do aprender, do viver. As coisas simples da vida, e o trabalho na horta. Aprendi tanto com ela. E continuo a aprender. Ela não sabe ler nem escrever, mas sabe da terra, das estações e do que se semeia e colhe, e se come à mesa. Do que alimenta a família. Como a panela de sopa feita à fogueira. O pão e broa que antes amassava e cozia. Os bolinhos e os filhoses. O arroz doce. O pão-de-ló. Os biscoitos secos. E o arroz no forno, que o meu avô adorava.

Pelo que me contam eu não gostava nada de comer em pequena (como é que é possível pergunta o caro leitor, e eu também me questiono) e foi sempre ela que teve paciência para me alimentar enquanto eu fazia birras, até que aos poucos comecei a gostar de comer, ao ponto de adorar.
É uma avó gulosa, que adora bolos e bolinhos como eu. E sempre foi uma mulher simples, com gostos nada extravagantes. Daí o bolo de anos ser também bem simples, sem enfeites. Mas carregado de chocolate e amor. Sinto-me mesmo muito grata por a ter a meu lado, por poder partilhar fatias de bolo e tanto da vida com ela.






Bundt de Chocolate

300 gr de açúcar amarelo
200 gr de manteiga derretida e fria
4 ovos caseiros
1 chávena de buttermilk
2/3 chávena de água a ferver
50 gr de cacau em pó
350 gr de farinha com fermento
1 colher (chá) de fermento
1 colher (chá) de bicarbonato
pitada de sal

Cobertura:
100 gr de chocolate semiamargo
6 colheres (sopa) de leite


Preparação

Pré-aquecer o forno a 180ºC e untar uma forma bundt com manteiga e polvilhar com farinha. Reservar.
Preparar o buttermilk juntando 1 colher de sopa de sumo de limão a uma chávena de leite, misturar e deixar a repousar 10 minutos antes de usar.
Numa taça colocar os ovos e o açúcar e bater com a batedeira eléctrica por 5 minutos até ficar uma mistura volumosa e cremosa. Adicionar a manteiga e bater novamente.
Juntar metade do buttermilk à massa e mexer bem, e aos poucos e ir juntando a farinha com fermento, bicarbonato e sal e o restante buttermilk e bater bem a massa. Por fim misturar o cacau em pó na água a ferver e adicionar à massa, mexendo até ficar uniforme.
Colocar a massa na forma preparada e levar ao forno a 180ºC até cozer (teste do palito).
Desenformar e colocar num prato de servir.
Para a cobertura, derreter o chocolate em pedaços com o leite, em banho-maria, mexendo até ficar uma mistura brilhante. Regar o bolo com a cobertura só mesmo na altura de servir.
Se desejar pode acompanhar as fatias de bolo com natas batidas e morangos, e regar com mais molho de chocolate da cobertura.

Bom Apetite!





34 comentários:

  1. Que declaração de amor tão bonita e tão sentida Inês. O amor de avó e o amor de neta é tão especial e único e acho que disseste tudo nesta receita. Sente-se o amor nas fotografias e nas palavras. Um grande beijinho para as duas.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Inês, minha querida, obrigada por esta mensagem tão linda. É mesmo um amor especial.
      Um beijinho.

      Eliminar
  2. Lindo Inês! Muitos Parabéns para a avó e para esse bolo tão especial...

    ResponderEliminar
  3. Quem me dera ter eu a minha avó ainda comigo para lhe poder fazer assim um bolo... e estou certa que se iria deliciar :)
    Parabéns à tua avó Inês.

    ResponderEliminar
  4. Ai meu deus, que fotos tão gulosas. Não há como resistir a este bolo. Um beijinho para ti e para a tua avó :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Este bolo apesar de bem simples, é delicioso Carla.
      Obrigada e um beijinho.

      Eliminar
  5. Um beijinho de parabéns à avó.
    O bolo ficou lindo!!!

    ResponderEliminar
  6. Tão sweetie! Tão lindo o que escreves :)
    Já não tenho cá os meus avós mas tenho memórias assim como as tuas :) e algumas bem doces pois tinha uma avó boleira hehe..
    O bolo está lindo assim como as fotos e achei giro um pormenor na última foto, no centro dos morangos cortados, estão uns corações lindos que comprovam o que escreveste ♥
    Um bjinho a ti e à tua avó e muita saúde para ela!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Uma avó boleira sweetie, que maravilha. Imagino essas memórias, tão doces :)
      Estão sim, os corações na foto, estava a ver que mais ninguém reparava!!
      Um beijinho e obrigada pelo carinho.

      Eliminar
  7. fiquei com muita saudade dos meus avós, agora...
    https://bloglairdutemps.blogspot.pt/

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Sabe bem essa saudade, dos afectos e do amor que nos une para sempre. Um beijinho.

      Eliminar
  8. Este teu bundt anda farto de me piscar o olho no instagram... adorei ainda mais saber a sua história... um bolo de amor... Lindo!!
    Beijinho
    http://asreceitasdamaegalinha.blogspot.pt

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada Joana, um bolo feito com amor.
      Um beijinho.

      Eliminar
  9. Que lindo este bolo, Inês. Carregado de carinho ,cada fatia deve saber muito bem. Gosto muito desta forma. Vai ser a minha próxima aquisição, eheh.
    Muitos parabéns à tua avó. Bem bonitas estas memórias da tua infância.
    Bjn
    Márcia

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Esta forma é linda, adoro muito, é uma das minhas preferidas sem dúvida. E o bolinho de chocolate também.
      Obrigada querida, um beijinho.

      Eliminar
  10. Tão bonito o texto Inês :)
    São memórias tão boas as vividas em criança! E tens tanta sorte de ter a tua avó ao teu lado!!
    Eu tenho a minha materna aqui também, e a paterna longe! Mas as memórias com elas são tão boas... e o amassar, colocar o pão no forno de lenha, lembra-me imenso das férias passadas com a avó paterna, na aldeia!
    Veio cá ontem, de comboio, para uma consulta e veio carregadinha de cerejas das dela, de framboesas que sabe que eu gosto tanto! É tão bom quando a ligação que temos com as avós é assim...
    Adorei o teu texto!
    E claro está que adorei também o bolinho! Está um encanto! simples, carregado de chocolate e do ingrediente principal... amor :)
    Tenho a certeza que foi uma celebração linda e que todos adoraram o bolo.
    Um beijinho grande às duas!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Gostei tanto de te ler Joaninha :)
      Obrigada pelo teu carinho, por escreveres sempre com tempo e passares por cá com uma palavra amiga. Sabe mesmo muito bem acredita.
      Essas memórias são mesmo as melhores, guardamos para sempre como tesouros, os mais valiosos! Tão bom!
      Um beijinho enorme querida.

      Eliminar
  11. Que sorte tens de ter uma avó tão linda e que sorte tem ela de ter uma neta tão maravilhosa. As avós são um tesouro, só tenho uma e ainda hoje me sinto tão pequenina quando estou com ela. Tem sempre tanto para ensinar.
    Muitos parabéns, que partilhem muitos bolinhos juntas! Um abraço enorme para ti e outro para a tua querida avó

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tão querida Sara, e é mesmo, um tesouro.
      Somos umas sortudas. Obrigada minha querida, abraço entregue.
      Um beijinho nosso.

      Eliminar
  12. Oh que texto lindo, e que saudades da minha avó paterna, aprendi tanto com ela.
    As avós são como mães, mas com a vantagem que quase nunca nos chamam atenção, a minha avó nunca precisou de se chatear comigo.
    A culpada de ela ser gulosa és tu, e a culpada de seres uma pessoa tão boa é dela, estão empatadas!!
    O bolinho está lindo, guloso, de certeza que todos gostaram, o importante é o carinho com que fazemos as coisas, e nunca um bolo de compra ia ser tão bom como este pois não se vende amor e dedicação e este está carregado destes ingredientes.
    De certeza que se divertiram e que nunca vão esquecer esse momento, e o bolinho também.
    Um beijinho carregado de carinho para avó Cidália ( olha que lhe pergunto)

    Um beijinho enorme para ti Inês :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Minha riqueza de menina, já me fizeste sorrir.
      Ela é uma gulosa como tu bem sabes, e a culpa de fazer tantos bolinhos ao domingo é da dona Cidália :) mas sabe tão bem, vê-la comer uma fatia e dizer "está mesmo bom".
      Ela mandou-te um xi-coração no embrulho!
      Um beijinho enorme, de nós as duas.

      Eliminar
  13. As avós são sempre especiais! :')
    Este bundt ficou com um aspecto maravilhoso! E essa forma é lindaaaa :D

    ResponderEliminar
  14. Que bolo lindo! Uma autêntica tenção!
    As fotos estão absolutamente fantásticas também!
    Tudo perfeito nesta publicação :P

    De aprendiz a chef

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada! É um bolo de chocolate perfeito para mim.
      Um abraço.

      Eliminar
  15. tanta doçura tinha de vir de algum lado... ;) beijinhos para as duas, que celebrem muitos mais aniversários juntas!*

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Hehe, quem sai aos seus :) somos umas gulosas as duas.
      Obrigada, beijinho nosso para ti e para os miaus mais fofos.

      Eliminar
  16. Tanto amor e uma doçura e lindeza de bolo.
    Quanto às memórias, podiam ter sido escritas por mim, pois tirando a quinta (que nunca tivemos), as memórias que tenho dos meus avós são exactamente iguais. Aliás... Andaste a roubar-me as memórias?? Lol.
    Beijinho grande à tua avó e que célebre muitos mais aniversários e com muitos bolinhos e gelados preparados por ti.
    Beijinho,
    Lia

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. A quinta era onde os meus avós trabalhavam, para uma família daquelas abastadas e que entretanto já não existe, uma pena. As minhas primeiras memórias remetem-me para lá.
      Ela é uma gulosa, e agora pois, já merece um geladinho!
      Beijinhos.

      Eliminar